*

Notas Oficiais da Presidência Nacional

ESCOLA SEM MEC!

O Federalista, partido político em formação, na defesa da reforma do País para uma Federação genuína com autonomia plena  dos estados e cidades, na defesa inarredável da liberdade e do livre direito de formação e Educação, vem a público, em razão da comprovada doutrinação  ideológica nas escolas, brilhantemente denunciada pela ONG “Escola Sem Partido”, externar:

1.       A causa da doutrinação ideológica e da péssima qualidade pedagógica nas escolas, resultando em uma massa de analfabetos funcionais, acarretando lamentavelmente em duas ou mais gerações perdidas, é o poder quase total concedido ao MEC – “Ministério da Educação e Cultura”. O poder concentrado que permite a construção pedagógica no interesse do governante federal e dos partidos que compõe sua base por tantos anos, incluindo a redistribuição material, verbas do Fundeb e até da merenda escolar são os instrumentos de controle total da Educação em todo o País;

2.       Tal controle vai além das escolas estatais – federais, estados e municípios – horizontalizando obrigatoriedades pedagógicas para o setor privado, como meio de implantar um pensamento de cunho socialista e estatista, com base nas premissas do “politicamente correto” patrulhando pensamentos e opiniões,  privando as crianças dos conteúdos ligados à Liberdade, aos valores tradicionais que construíram e mantém a Sociedade e a Civilização, resultando pessoas com baixa capacidade de percepção cognitiva em relação ao ambiente político e social, ou seja, a construção de um sistema “matrix’, no qual o Estado terá o controle social e individual total com menor esforço.

3.       Não se pode considerar  a distribuição do conhecimento de forma unilateral como justa. Em escolas sem o peso ideológico do Estado, seja ele qual for, o conhecimento deve ser transferido de forma pura, incluindo causas e efeitos de acordo com a realidade dos fatos, para que se provoque a criação do espírito crítico em cada indivíduo em formação, e possam então, fazer suas escolhas na condução de sua vida.

4.       Frisamos que as tradições que se relacionam com a família, com a meritocracia, com a liberdade com responsabilidade, civismo e nacionalismo sem fanatismo, ética e honra com o cultivo da humildade, ambição pelo progresso sem ganância, direito de escolha com responsabilidade pelas consequências, são os valores predominantes da maioria absoluta – mais de 95% da Sociedade Brasileira – em maior ou menor grau, e são estes os valores que devem predominar nas escolas em quaisquer níveis, pois esta é a orientação da Nação Brasileira, rejeitando, portanto, as insistentes tentativas dos governantes. A Nação é a proprietária do País, e os governantes e servidores são seus empregados. 

5.       É por estas razões que os Federalistas pregam a escola local e regional. Considerando a polêmica atual, resultado da concentração dos poderes e recursos neste esquizofrênico modelo de País que vigora no Brasil, a Escola Sem Partido será seguramente possível e sem mais riscos à Sociedade Brasileira com a  ESCOLA SEM MEC, ou seja, o modelo de ampla descentralização, em perfeita combinação entre formação e educação que devem ser essencialmente locais e regionais. As ideias neste sentido estão presentes no site oficial emfederalista.org.br

Brasília, DF, 02 de agosto de 2016.

Partido Federalista
Thomas Korontai
Presidente Nacional

Onde deseja compartilhar?

Deixe aqui seu comentário

Participe